O mar me chamou

Há anos vivia em terra firme. Assim como vários outras pessoas, eu só queria sentir a tranquilidade do mar. Mudei de uma cidade no interior do país para uma no litoral e agora a praia está perto. A rotina muda e todo final de semana tem algo para fazer, algo para consertar, algo para estudar. Tudo para estressar ainda mais. E o mar logo ali. 

Chegou o dia do meu aniversário, quatro meses depois de nossa chegada. Eu nem perto cheguei de água salgada. Esse foi o meu pedido. E recebi um dia nublado com boa possibilidade de chuva torrencial. E o mar logo ali.

O dia esquentou e foi decidido que realmente ia para lá. Não da maneira esperada, mas não se pode reclamar do que se ganha. Muito menos oportunidades. Fomos para lá e a única coisa que vimos até lá foram viadutos, prédios e carros. E o mar logo ali.

Chegamos lá e avistei a praia a um quarteirão de distância, mas de algum modo essa única quadra se tornou mais longa e parecia ter o tamanho de quatro ou cinco. Quando cheguei lá, tudo o que vimos foi pedras, calçamento e cimento. Só porque as pessoas não conseguem andar com seu salto alto na areia. Essa era a tal da praia urbana, onde os hotéis de luxo estão de um lado e barracas de feira noutro. E o mar logo ali.

Andei pelo chão duro em busca da areia. Estava perto, eu sabia. Dava para ouvir o mar chamando. Finalmente, a areia apareceu, mas apareceu tão subitamente e grandioso que não deu para entender como havia se escondido. Um minuto era um mar de pessoas, roupas e mesas. Em outro, era só um deserto. Pessoas fugiam da areia e do mar também. E o mar logo ali.

Toda aquela areia e água assusta. É tanto. Não é à toa que eu o ouvia de tão distante. Havia uma passarela de pedras para além mar, era como um convite. Toda ventania me empurrava a frente, cada onda era um passo. Quando cheguei ao final, já conseguia encará-lo. E o mar logo ali convidava-me a continuar e me perder nele.

Autor: própria.

Todo fim de ano tem aquela lista de coisas que a gente faz nos fins de ano só para se decepcionar

Elas começam com uns tópicos importantes que precisam deixar de ser utópicos.

  • Passar para universidade federal
  • Emagrecer até o manequim 36
  • Fazer exercícios diários
  • Tirar a carteira de motorista
  • Falar corretamente

E, às vezes, aparecem algumas coisas que você precisava fazer e até queria, mas não deu.

  • Arrumar a pasta de documentos
  • Arrumar o caderno de música

Tem também algumas coisas que a gente até poderia fazer e seria bom que fizesse mas geralmente não fazemos mesmo porque… Por motivo nenhum.

  • Alimentar minha biblioteca virtual
  • Comprar um celular melhor
  • Assistir GOT todo, Gossip Girl e mais um monte de séries que ficaram aculadas ao longo da vida
  • Tocar mais algumas músicas que gosto no violão
  • Cantar melhor
  • Pedir desculpas quando necessário
  • Ir a praia de novo
  • Comprar mais livros da lista de livros
  • Enviar cartas
  • Comprar um gorro de natal

Ainda tem as coisas superficiais que não iam fazer nenhuma diferença de verdade, talvez só um pouco de satisfação momentânea

  • Renovar o quarto
  • E tem que ser branco
  • Comprar uma TV para o quarto
  • Comprar uma cadeira branca para por uma manta de pele sintética
  • Comprar tapete peludo antialérgico cinza
  • Renovar o guarda-roupa inspireted by Pinterest
  • Comprar um peso de porta
  • Fazer/comprar um prateleira para banheiro
  • Comprar espelho grande para o banheiro

Mas, quando você lembra que já está no final do ano e a mídia começa com a campanha de aquecer os corações, você quer colocar algumas metas mais alcançáveis, mais gentis. E essas são as melhores porque só vão trazer bem a você mesmo e a quem está a seu redor. Principalmente, se fizer delas um hábito.

  • Passar mais tempo com a família
  • Ajudar alguém que precisa
  • Cumprimente um estranho
  • Doar roupas usadas
  • Ouvir pra quem precisa falar
  • Segurar a porta para quem vem atrás
  • Doar sangue
  • Doar livros a uma escola
  • Ceder o seu lugar a alguém no transporte público

E, quando você pensa que está pensando nos outros, lembra que tem que pensar mais ainda em você.

  • Aproveitar mais a vida
  • Aprender algo novo
  • Separar mais tempo para si
  • Economizar dinheiro para algo legal
  • Desapegar
  • Desabafar
  • Fazer exercícios
  • Ter mais autoconfiança

A minha lista já foi finalizada e guardada esse ano. Quem sabe no final do ano eu abra esse pote para ter um gostinho de decepção pós-Natal?

wp-image-1071684808jpg.jpg